19.4.05

Sento-me e escrevo-te em segredo…
Encerro assim mais um dia em forma de último capítulo!
Ao escrever, assumo-me de forma proibida.

Sou estranho a este não procurar das palavras…
Mas escolho o silêncio ao pronuncio da verdade.

Como é que alguém se diz perdido?
Como é que eu me digo perdido?
Não admito a mim mesmo que estou preso,
A esta força que te traz comigo…

Não vou procurar uma forma subtil de te explicar,
Assim como não vou fingir que não sabes já…

Existi numa única vez em que te (re) vi!
Sim… não foi à primeira vista,
Mas, assim que te olhei... nasci!

É como se o teu pulso forte me prendesse…
Como se o teu beijo fosse municiador da minha vontade!
A tua voz o meu dizer…
O teu dizer, a minha verdade.

Mas mesmo assim não to admito…
É enorme o medo de te perder!
Mas admitir algo que tu já sabes?...

Sim…

Já sabes…

Pertenço-te!




Over The Rhine - "SuitCase"

10 comentários:

Vera Cymbron disse...

Nós pertencemos sempre a algo.
Jinhos grandes e escreve sempre muito, adoro ler-te.

Arroz de Estragão disse...

Bravo!

Anónimo disse...

Certamente que sim Sandro :)
Tens Msn? ...é que é bem mais facil e rapido enviar...
Aguardo resposta
o meu é :
soniapires@iol.pt

carlag disse...

Passei por acaso, e digo que gostei muito de te ler.
Sei que voltarei...

( Tens um post, onde fazes uma citação de um poema, meu preferido ) Esse poema do Pablo é fabuloso!

CA disse...

Não tenho tido palavras para te comentar.
Andas inspirado. Eu não.
Gostei deste teu segredo.
Beijo.

H. disse...

lindo... :)

TMara disse...

Boa sorte. tenho andado por estas e outras bandas conhecendo os blogs a concurso Esta semnana. N/ tenho comentado pois são muitos (20...) Bjs e ;)

UnaRagazza disse...

Fabuloso!!

Dora disse...

Que lirismo maravilhoso, Sandro!
Boa semana para ti :-)

mood disse...

Qualquer coisa no teu tom mudou...
Gosto..gosto da música que escolheste.
Sinto-me sempre tão bem por aqui...

Tão lindo este texto...

beijo enorme