12.4.05

Nasci

A submissão é algo horrível.
Há coisas que nos levam a ser submissos para com alguém, ou algo, que não têm, nem devem ter razão de ser.
O amor é uma delas.
No amor não ganhamos nada em escamotear aquilo que somos. Por vezes tornamo-nos reféns de uma imagem que passamos aos outros, e que não é fidedigna do nosso reflexo.
Já fiz isso...
Morri!
Escolhi morrer e renascer de novo, limpo, sem nódoas deixadas por outros, ou influências negativas que aceitava como sendo parte natural das coisas, de mim...
Aceitei o facto de que sou assim, nada mais do que a pessoa como nasci. E aceitei o facto de que tenho o direito de ser o que sou, e que sempre que submeto a minha vontade às opiniões dos outros, parte de mim morre, e perco-me numa identidade que se afasta da minha.
O grande, enorme, Bob Marley, numa musica dele, não questionava se as pessoas sabiam e queriam ser amadas, mas se podiam ser amadas. Numa resposta que cada um deve dar a ele mesmo. Posso ser amado? Mais do que querer ser amado, posso? Deixo alguém me conhecer como sou, gostar de mim pelo que sou, sem ter de fingir isto ou aquilo, por esse alguém, ou pelo que penso que esse alguém quer?
Comigo foi assim, eu fingia ser algo que pensava que a outra pessoa queria que fosse...
Sem que ela nunca me tivesse pedido nada, moldei-me a uma forma estranha de mim, que mais tarde já nem eu reconhecia, perdido do caminho de volta.
Tudo acabou... Eu morri...
Mas agora, nasci de novo, com um escudo impermeável à vontade dos outros, e às minhas próprias duvidas.
Estou pronto... pronto para amar.
E sim... Posso ser amado. Quero, sei, e posso ser amado.
...
...
Eu sou o Sandro, tenho 28 anos, e sou aquilo que vêm... não esperem mais, não esperem menos, do que aquilo que vos mostro, porque é fiel ao que sou.

12 comentários:

Ricardo disse...

Sandro...

... sem querer meter a minha foice em seara alheia (porque não é meu hábito falar nos blogues da vida privada) espero que o teu "renascimento" (das cinzas ou não como uma Fénix) te leve a altos voos e a grandes paixões. Não duvides de ti e ignora o que os outros querem para ti.

Um abraço,

H. disse...

Tens mto valor pelo que és. força! nunca percas essa força!
o Bob Marley dizia várias coisas com mto sentido. Várias mesmo.
Bem... ñ sei q te dizer.
Eu tenho tantos problemas cmgo própria, quem sou eu para opinar?
Whatever, Boa Sorte, Luta, Sê, Frui e Vive! Sempre de cabeça erguida! :)

Marta disse...

É bom ter essa consciência tão apurada. E sim o amor chegará por ti e para ti. Beijo

o rapaz que pensava que o mundo era redondo disse...

Por vezes faz bem renascer... E é claro k tens todo o direito em ser amado! Abraço!

Ninagasol disse...

"Aprendemos a amar, não quando encontramos a pessoa que julgamos certa; mas quando conseguimos ver de maneira perfeita, uma pessoa imperfeita." (Sam Keen)
***

Gaivota disse...

Ainda bem Sandro, ainda bem que já nao te pintas com as cores dos outros e que já não usas a mascara para te fazeres sonho de alguem...

Eu tenho a infelicidade de nao saber bem quem sou e entao sou tudo o que querem... mais facil, sem duvida

Ritinha disse...

Que bom renascer!
Beijo grande, Sandro... de 28 anos... lindo! :)

maria l. duarte (secret) disse...

O teu poema trespassa a consciência de cada um de nós porque todos sabemos que em alguns momentos, durante algum tempo, em alguma história já concedemos em ser outro... Mas a construção torna-se sempre demasiado exigente, impossível de sustentar e de todo o modo para os outros nunca é o suficiente. Adorei o teu texto e certamente és especial e serás amado justamente pelo que és... só aí é que é amor de verdade.

maria santos disse...

é isso mesmo sandro, sermos sempre nós, independentemente do que os outros estejam á espera...beijo

mood disse...

Sim, o amor verdadeiro é libertador (e não submissor). O amor verdadeiro dá espaço para investir energias na auto-descoberta em vez de as gastar em corresponder às expectativas do outro. O amor verdadeiro dá espaço para alguém te ir descobrindo [contigo] e maravilhar-se também ao longo do processo..e amar-te mais e mais por isso, a cada passo. Para mim amor verdadeiro é esse. Para mim amar é ir descobrindo o essencial do outro dia após dia com ele e sentir-me grata por isso. Amar verdadeiramente é crescer a dois, conscientes de que há sempre dois percursos honestos e individuais de crescimento
E tu és lindo assim...assim tal e qual, o Sandro que eu conheço.
Neste post eu vejo 'aquela' tua garra...aquela, sabes?
sinto-te liberto.
A genuinidade é a única coisa no mundo que leva a um amor verdadeiro, sentido. Que te amem assim.
Beijo grande pela força que 'rebentou'... ;)

Andreia disse...

Onde se preenchem as folhas de candidatura? ehheeh
:)
Sandro...com calma. Um dia após o outro. Vais ver que te vais (re)descobrir.
Quanto olhares ao espelho e saberes que és tu ali reflectido, aí sim. És tu cru, mais ninguém te tira o poder que é saberes o que és. Esse poder não cabe na mão :)

Beijo

Andreia

paula. disse...

Sandro, como sei que passas de volta e meia pelo meu blog não preciso de te dizer mais nada. Eu mesma tive um destes momentos de lucidez recentemente.
Sei q sou assim e quem gostar gosta quem nao gostar toca a andar...mas entre esse meu post e hj (uma semana) aprendi a aceitar que mtos aspectos em mim estao completamente errados e nao mudar isso (que nem eu mesma gosto) seria uma perfeita estupidez e falta de amor-proprio.
Mas continuando sp fiel aquilo em q acredito.
Tenho a certeza que o teu "renascer" para ti mesmo será mais brando q aquilo q parece...
Desejo-te serenidade, acima de tudo.
O que lixa tudo na nossa vida é mesmo o amor ...porra! :D

beijo