31.3.05

Se quiseres...

Deixa-me ficar mais um pouco...
Queres?
Não sou como pensas, vais ver isso em breve!
Deixa-me ficar mais um pouco...

Vou beijar-te... vou amar-te...
Sim...
Vou deixar-te...

Não te entregues demais, depois percebes porquê...
Não me ames!
Deixa-me ficar apenas mais esta noite.

Não sou assim tão bom... é apenas um reflexo.
E este poema não tem poder algum, mesmo que o leias para sempre.

Vou beijar-te... vou amar-te...
Sim...
Vou deixar-te...

Entrega apenas o teu corpo, larga-o em mim mais uma vez.
E possuo-te com toda a paixão que me conheces...
Dou-te prazer... e mais prazer...
Apenas mais esta noite.

De manhã já não estou, mas fico apenas se quiseres...

E vou beijar-te... amar-te...
Mas sim...
No fim vou deixar-te...

8 comentários:

maria santos disse...

uma resposta...apenas uma...poderão ser tantas...

vem...fica mais esta noite...não quero que me ames, apenas que me desejes, não quero ficar contigo mais que esta noite, mais que as que tivemos...vou gostar de te ver...não...não te amo...mas ao mesmo tempo custa-me dividir-te...quero-te só para mim, pelo menos esta noite e de manhã quando acordar...fica...
apenas uma noite...esta...amanhã direi que não tenho tempo, tem de ser hoje...não te amo não...

mood disse...

Muito interessante o teu texto...muto bonito e muito real.
Faz-me pensar...Gostei.
Bjo

Ritinha disse...

Sabes... acho que se ele falasse o que pensa me diria isso!
Beijo grande

Ritinha disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
H. disse...

lindo... sem mais palavras para comentar, digo-te apenas q senti as palavras. mto.

Anónimo disse...

As minhas mãos seguram o teu desejo, a língua desliza pela tua pele, sinto-lhe o sal, o suor, o quente do sangue que corre por debaixo da epiderme...cada beijo é um adeus, cada amo-te uma despedida...só por esta noite, só pelo prazer, somos um amo-te em contagem descrescente.
Deixa-me...

Andreia disse...

Quem te disse esse segredo?
...de não seres como ela pensa que és?
às vezes os outros conhecem-nos melhor do que nos dão a entender :).

Mas custa sempre quando vivemos momentos que sabemos que vão acabar.
Sabemos que dói sempre, porque se gosta...mas o gostar às vezes não chega.

Beijo grande

Vera Cymbron disse...

Achei o poema muito bonito e triste, fatal quase...
Mas sei de sentimentos destes, a fúria da luxúria toma-te a pulsação nas veias e tu enlouqueces ao ponto de te atirares mesmo sabem que será duro onde vais cair...
Jinho...e Sandro, aquilo que escrevo tem sentimentos meus, mas também tem peles dos outros, percebes?! Obrigada pela preocupação! Eu cuido-me, sempre o fiz.