28.1.05

Vem…

Abraça-me no frio que me reconheces.
Não é deste Inverno… é deste inferno que é não estares em mim…
Afaga-me a lembrança, a vaga ideia em que te tenho…
Negas-me um cheiro, um cafuné no teu cabelo, uma passagem pelo teu colo?
Não te quero boa rapariga, nem amante ou amiga, apenas minha mais uma noite.
Vem…
Puxa-me deste refúgio, onde todos conseguem entrar, mas apenas tu conheces o segredo, e leva-me além… leva-me daqui deste lugar, para aonde te possa apenas amar, e ser eu… de novo em ti!
Deixa que a tua boca me alimente os lábios…
As minhas defesas esvaem-se a cada beijo teu…
Leva o que resta deste sentimento!
Usa… E abusa…
Nota que é tudo o que ainda tenho, porque mais dura que a realidade é a ficção…
E tudo o que me resta é este tão pouco em que me vês… é este silêncio onde me encontras prostrado.
Vem…
Porque preciso que me ames…
Porque preciso…
… de ser amado!

15 comentários:

Maria Branco disse...

Hoje os nossos posts, não são apenas cúmplices, encaixam um no outro, ou um é a continuação do outro...
Belissimo Sandro, muito mesmo..
Já sabes que desejo que esse teu chamamento seja escutado...
Um abraço quentinho
Muitos beijos

mood disse...

Não te cheguei a dizer mas... O coração disparou.
E isso diz tudo, não é? A tua escrita é muito forte.Às vezes deixas-me um bocadinho pregada ao chão.
Que sejas amado como precisas...como mereces.
Adoro-te muito.Quando te vir vou-te encher de beijos bons.prepara-te...

margarida disse...

Vim cá pra te agradecer a tua visita ao meu cantinho, e fiquei por cá durante mt tempo, simplesmente adorei! E cá vou voltar pra ler o q me falta. Qt a este post, quem ñ quer ser amado? É das melhores coisas q a vida tem. Beijinhos grandes e agora q aprendi o caminho cá voltarei ********s

CA disse...

Todos precisamos...de amar...e ser amados!
Todos precisamos desse abraço que nos aqueça.
Todos precisamos de alguém!
Beijo.

Gaivota disse...

Poucos são os que têm a capacidade de entrar neste nosso mundo onde nos fechamos com as muralhas mais altas que conseguimos inventar... Triste é que quando os que tem essa capacidade simplesmente não queiram...

As vezes damos a chaves as pessoas erradas, as vezes temos pressa demais...

O rio corre para o mar, sempre, eternamente...

Beijinho Sandro.
Gosto muito do teu blog, se isto es tu (ou um pouco de ti) parabens! :)

maria santos disse...

E é quando estamos cansados de amar e de sofrer por amar, que achamos que a melhor solução é sermos apenas amados sem dar nada em troca...achamos que assim deixamos de sentir qualquer dor...mas é um erro Sandro...queres ser amado sem estares preparado para dar o teu amor em resposta...e o outro lado? Vai ser a vez de ser ele a sofrer? ...beijo...

melao_verde disse...

tá bonito tá... tá giro tá... o melão gostou;)

Carla disse...

~Sim, senhor....isto é só talento...mto bom, sém dúvida.

Anónimo disse...

"Nota que é tudo o que ainda tenho, porque mais dura que a realidade é a ficção…"
A ficção é mais dura ainda que a realidade porque nos leva onde queremos e nunca fomos na realidade...
A ficção leva-nos a sonhar, a querer e ousar fazê-lo...
A ficção leva-nos a questionar a realidade, leva-nos a querer torná-la o nosso verdadeiro mundo e a desejar que a realidade se torne na nossa ficção.

Sandro, Não tenho cantinho...ainda ;)
C.

Mikado disse...

Vem...que não podemos nunca desistir do amor porque desistir de amar é um vazio ainda mais duro que a ficção, é um desistir de nós próprio, talvez possamos é desistir de quem não tem capacidade para nos amar de volta.

Anónimo disse...

:-):-):-)
Luís
http://rotacaodostempos.blogs.sapo.pt

Andreia disse...

Em primeiro: uma música (não sei se vais gostar ou se é sequer das tuas preferências, mas...Sia - Numb)

Depois...essa expressão do "é do inferno de não estares em mim...", diz-me tanta coisa...
Não sei, é tão mais fácil deixarmo-nos ser amados, vermo-nos nos olhos de algumas pessoas de uma maneira que gostamos, mas que não conseguimos retribuir por mais que queiramos. Querer alguém connosco e saber que essa pessoa nos adora. Eu sei que não é isso que quiseste dizer, mas é isso que me assola o espírito, que me faz lembrar da situação, desta emoção.
Mas é porque eu não sou a que "escreve", sou a quem fazes esse pedido, ou melhor, eu não sinto o mesmo que descreveste, mas sinto o que se calhar a pessoa que tens em mente quando o escreveste sente.
Confuso? De certeza. Hoje também não encontro palavras que o expliquem melhor...

Caliope disse...

Hummmm... Desconfio que há algo na linguagem do amor que te passou despercebido... Se calhar vai mesmo ser preciso o intérprete... ;-)
Ama-te a ti mesmo primeiro.. O amor é um partilhar, não pede, não precisa e não espera nada em troca ;-)
Beijinhos

Anónimo disse...

estás sempre a ser amado, desde que ames (mas não idolatres) aquilo que vês ao espelho e que vês no céu.

Kearinn

(Keira@sapo.pt; kearinn.blog.com

myryan disse...

Com-ple-ta-men-te rendida!!