17.1.05

Tempo...



Todos os sentimentos se revelam, como se fossem rachas na parede, que aparecem pequenas, e crescem com o tempo...
Todos precisamos da ajuda de outros, para suportar uma prateleira com muitos livros, sem que nenhum nos deixe uma frase preferida... algo que marque...
Encontrar alguém que perceba... que o tique-taque do tempo, por vezes deixa-me com vontade de chorar...
E há coisas que mudam, e coisas que ficam na mesma...
Mas há tempo! Julgo sempre que há tempo, pelo menos para mim, para me curar dos males... para me esquecer de ti... Só preciso de tempo!
E as soluções ficam à defesa... com medo de se mostrarem... com medo de mim!
E observam-me enquanto mudo!
As crianças gritam, mais alto do que antes, enquanto as mães tentam fazê-los calar...
E choram comigo!
Elas percebem que há tempo... que demora a passar... mas que há tempo...
E todos os estranhos que me parecem suspirar o teu nome, fazem com que me perca num mar de duvidas, de pessoas sós, que parece-me esperarem também por ti... ou pela sua versão do que tu és para mim...
Seguido por um foco de luz, maior que a vida em si, que me persegue até aonde me escondo... e que me expõe para que todos me vejam e saibam...
Este sou eu... sem ti...

12 comentários:

CA disse...

Sim...é isto mesmo...
Também julgo haver tempo para esquecer o passado que é suposto esquecer e para esperar para que o meu alguém me encontre.
Mas ver o tempo passar umas vezes mais rápido outras mais devagar aflige-me por vezes e faz-me chorar...também.
É preciso acreditar que só o tempo nos pode dar as respostas que procuramos. E que ele não nos há-de faltar.
Beijo grande.

mood disse...

Eu penso muito sobre isso...sobre o tempo.
E a minha teoria é que ele corre à nossa frente para nos espicaçar. Para nos lembrar que temos de ser activos à medida que o NOSSO tempo passa.
Sinto que precisas de alguém que suporte essa prateleira contigo...que te aponte a tal frase que te faça sentido. E quando assim for já não vai ser com o choro das crianças, nem com o ar desorientado de estranhos que o teu coração se vai identificar. No dia em que encontres alguém que acompanhe o teu tempo de chorar e esquecer, acordas um dia e pensas:
HOUVE um momento em que eu soube quão interminável podia ser o tempo.


Gostei muito.Gosto sempre muito do que escreves.
Bjo
Jo

Anónimo disse...

Hoje tenho tempo, tenho todo o tempo... para ti! O que queres fazer? Podíamos aproveitá-lo para estar juntos... O tempo contigo é tão bom...
Beijo bom...
Martinha

Andreia disse...

Estou farta de tempo...
Quero fazer fast forward à minha vida...:(...

Mikado disse...

O tempo que é tempo rodopia à nossa frente, com sapatilhas de bailarina, estende-nos a mão e convida-nos para dançar ao seu compasso. Umas vezes aceitamos o convite, outras vezes somos meros espectadores de um tempo que passa por nós, ao qual não ousamos dar a mão, com o qual não ousamos dançar...esse é o tempo em que passamos sem amar.
Bjs

mad disse...

Há tempos que não comandamos.
Não comandamos o tempo de vida.
Mas somos nós os únicos donos da nossa vida e dos nossos sentimentos.
Por vezes gastamos demasiado tempo com algumas coisas e depois resta-nos pouco para outras bem mais gratificantes.
Um beijo para ti Sandro.

Anónimo disse...

Tempo de dois gumes
de ponteiros aguçados
tempos alados...

Beijinho grande
Sónia
www.lbutterfly.blogs.sapo.pt

Maria Branco disse...

O tempo é sabio, Sandro, quando cumprido, dá-nos todas as respostas, suaviza a dor, acentua as certezas..
Que o tempo te traga todos os sorrisos, que ele te traga esse alguém que te irá ajudar a suportar o peso da vida!
Muitos beijos

Ritinha disse...

Como te percebo e me revejo em ti neste texto... há tempo, não há pressa. Também acredito nisso.

Beijo grande

Estrela do mar disse...

...acompanhavas-nos nesta ilusão?...

Beijinho*.

Ninagasol disse...

... Tenho os meus livros todos no chão...
Terias "tempo" para segurar por uns momentos... apenas a prateleira?
Beijos

Anónimo disse...

Excelente este post! Sentimos a angústia da tua espera dentro do tempo...boa semana para ti :-)

Dora
www.atrasdaporta.blogs.sapo.pt