25.1.05

Esperança...



Se tivesse uma oportunidade mais,
Não hesitava...
Dizia-te tudo o que nunca te disse antes...
Mas é tarde!
Para te dizer tudo... Para te amar...
Desisto desta luta desigual.
Sim... és mais forte do que eu!
Ganhaste quando partiste e me entregaste às ruas de Lisboa.
Costas voltadas para mim...
Não há nada de bom em perder quem amamos...
Porquê, perguntam os mais cépticos...
Porque sim!
Nego a minha capacidade para amar...
E nunca, nunca, te vou esquecer...
...
Até aparecer alguém!
Alguém que me remende as asas e de novo me ensine a voar...
Que me mostre que não tenho onde, nem porquê, me esconder!
Alguém...

17 comentários:

Mikado disse...

Tudo se remenda, dizem, mesmo o coração mais estilhaçado, mesmo a esperança mais desiludida, mas não é o tempo que o faz, diz um grande amigo, somos nós que nos consertamos...e só ai é que estamos aptos para convidarmos esse Alguém a entrar!
Bjs,
muitos,
sempre

Ninagasol disse...

Esse Alguém já se deve ter metido a caminho... de ti. Enquanto isso, nem que voes baixo, só com uma asa... mas não fiques em "terra". Beijos

Maria Branco disse...

Que esse alguém apareça.. Que esse alguém te faça redescobrir a vida, que esse alguém te faça muito feliz! Como tu mereces..
Muitos beijos

Estrela do mar disse...

...gostei deste teu texto...isto sim...é uma grande atitude!...vai em frente...e quando menos esperares...tens ao teu lado...alguém que te ama...e que tu ames...e muito...

Um beijinho*.

P.S. Sabes uma coisa? Por acaso não vi o filme "Vamos Dançar"...mas estou desejosa de ver...ainda mais com um dos meus actrores preferidos...com o teu comentário...abriste-me mais o "apetite".

Ritinha disse...

Como te percebo meu querido Sandro... e como tão bem dizes o que me vai na alma.
Beijos grandes, muito grandes.

mood disse...

"Há amor amigo/Amor rebelde/Amor antigo/Amor de pele.
Há amor tão longe/Amor distante/Amor de olhos/Amor de amante
(...)
Há amor despido/Amor ausente/Amor de corpo/E sangue bem quente
(...)
Há amor tão fraco/Amor não assumido/Amor de quarto/Que faz sentido.
Há amor eterno/Sem nunca talvez/Amor tão certo/Que acaba de vez.
Há amor de certezas/Que não trará dor/Amor que afinal
É amor sem amor

O amor é tudo isto
E nada disto
Para tanta gente
é acabar um amor igual
E começar um amor diferente
Sempre...para sempre"

letra: Miguel A. Majer
retirado do álbum da banda Portuguesa- Donna Maria.


que sortuda será essa pessoa. Beijo grande

Anónimo disse...

o desespero da espera é apenas suportável pela esperança de que, por esta espera, valha mesmo a pena esperar... li hoje pela primeira vez o teu blog... adorei! revejo-me em muitas situações que descreves e ajuda-me pensar que não estou só neste mundo louco onde me apetece sempre gritar para perceber se sou eu quem de facto está deslocada ou se são todos os que nos rodeiam que parecem adormecidos, sem a sede imensa de simplesmente sentir e viver assim, sem travão. o amar amar, o amar mostar que se ama, o amar viver numa contradição constante, o amar ser muito mais do que damos a conhecer...e, ao mesmo tempo, ter a esperança de que alguém um dia se nos revele, como um espelho de nós, e nos deixe largar amarras e passar a amar tudo isto, mas às claras.
C.

maria santos disse...

...e vai aparecer alguém...porque existe sempre 'alguém'...

amita disse...

Gostei de ver a "Esperança". Espero ver o brilho que ela emite. Obrigada pelas tuas palavras. Bjos

Caliope disse...

Há sempre um peródo de luto... Para que os fantasmas não nos venham assombrar.
Beijinho

M.C. disse...

Acredito no amor maior... aquele que te está guardado.
E os caminhos que precorremos e que tantas vezes nos corroiem por dentro, servem de aprendizagem de vida apenas.
Um dia destes, vai deixar de te doer e vais te encontrar.

Anónimo disse...

A vontade é sempre inimiga da solidão!

http://cem-ideias.blogspot.com

Sandro disse...

Susanita: Não... Não acho que seja o tempo, acho que somos nós que tratamos de nos curar a nós memsos.
Beijo

ninagasol: Em terra nao fico. Mas neste momento voo baixo... mesmo pra ver quem vem a caminho chegar!

Maria: Obrigada por achares que mereço... um beijo grande!

Estrela do Mar: Espero bem que sim. Espero bem que sim... Beijo

PS: Já viste o filme?

Ritinha: Beijos grandes também pra ti. :)

Sandro disse...

Jo: Não conhecia, mas gostei!
Que sortudo serei eu, se essa pessoa aparecer! Beijão

C.: Gostei de ser lido pela 1ª vez... Gostei muito do que escreveste!
Só ninguém está, embora que aparentemente pareça que muitos de nós estamos sozinhos...
Espero que voltes. Espero que te identifiques melhor!

Sandro disse...

Maria Santos: é preciso é que esse alguém chegue a tempo!

amita: Espero que ela emita o brilho que qualquer forma de esperança deve ter! beijo

Caliope: E os períodos de luto variam de pessoa para pessoa. Acho que muito depende de nós... Beijo grande

Myryan: Neste momento posso dizer que já não dói. Mas tambem já não há mis nada... E é esse vazio que me vai corroendo por dentro. Tem de ser preenchido!

cem-ideias: A solidão é sempre inimiga de tudo... eu acho.

Anónimo disse...

Estar contigo e estar sem ti são as únicas formas que conheço de medir o tempo. Li algures...
Perdemo-nos nos dias longos de solidão...temos saudades de algo que ainda não conhecemos, que esperamos para breve. a vida nada mais é que um compasso de espera onde chegamos a delirar com uma (há muito nos devida) felicidade.
tivémos medo de dar tudo...perdemos o rumo.
agora deambuleias pelas ruas de lisboa e nada tem o mesmo cheiro, a mesma cor, nada mais vale a pena.
C.

Sandro disse...

E quem és tu C.?
Não tens pouso? um espaço teu?
Estou curioso!