15.12.04

Sempre que penso em ti...

... o mundo quase derrete!
Aceito-te como a minha fraqueza... todos os meus medos, os meus receios,
desaparecem no teu reflexo!
Mesmo quando te empurro pra longe, nunca viras as costas!
Aceitas-me como sou... e quando saio de mim, puxas-me de volta num beijo.

Enfureço-me com facilidade, e sei que é defeito... mas dás-me espaço para existir.
Faça e diga o que for, és paz em mim, e não discutimos por isso.
A luz dos teus olhos guia-me sempre de novo a ti...
este amor é apenas o antídoto... e nada me pode matar!
E nada mais me cura...

Há alturas em que não consigo pensar... não destingo o certo do errado...
fazes com que me sinta menos perdido, ou caso contrário afogava-me...
neste mar de revolta... que me assombra. Nas duvidas... que me perseguem.
Mas tu fazes com que tudo volte ao normal!
Pegas em mim e aconchegas-me e dizes que tudo está sempre bem...

De todas as coisas que desejo, és a única que me completa...
A única em que sei que acredito!

15 comentários:

Anónimo disse...

Comovente relato de um amor feliz :-)

Dora
www.atrasdaporta.blogs.sapo.pt

Guida disse...

O amor é viciante e o Mundo derrete, como manifesto da sua carência.
Adorei este post. Hei-de o passar para o meu caderninho para um dia ler à noite, à cabeceira.

Beijo ;) *

Anónimo disse...

Obrigada pela visita. Claro que há sempre excepções que confirmam a regra, (raras, infelizmente). Um bjo pelas lindas letras que escreves. Amita //brancoepreto.blogs.sapo.pt

Ninagasol disse...

Nem nunca deixes de acreditar! E... pega nela e aconchega-a num abraço bem forte.
Como sempre, foi comovente ler-te.
Um bom beijo.

CA disse...

Fazes-me pensar...
Talvez por dizeres coisas que também sinto, talvez por dizeres coisas que não sei que sinto.
Obrigada. Beijinho.

Contas e Cores disse...

Adorei ler! Lindo!

Sandro disse...

Dora: Todo o amor, desde que vivido sem barreiras, nem medos, embora possam haver errros, desde que haja espaço para errar, é um amor feliz!
Obrigada pela visita.
Beijo

simplesmente,Guida: :-) (simplesmente?)
A carência por amor, nem chega a ser doença, tal é a imprevibilidade da dor que pode causar a cada um...
Boas leituras de cabeceira.
Beijo,
humidelmente,Sandro

Amita: Não agradeças a visita. Se deixo rasto, é porque gosto! Se gosto, eu é que agradeço!
Um beijo

Ninagasol: Comovente ler-me? É bom saber que despertamos algo nas pessoas que nos visitam, não é?
Não posso apertar com muita força... ou ainda a magoou...
Beijo bom

CA: Pelo menos sabes que a essência está no sentir.
E no sentir está a essência... do que és, do que escreves, de quem gostas...
Beijo
(obrigada?... de quê?

Raquel: Adorei ser lido! Linda! ;-)
Um beijo

Filipa disse...

Tive a impressão que eram palavras sentidas e não um texto qualquer com o único intuito de publicar no blog...

Beijo

Anónimo disse...

eu acho que é bom ter fraquezas dessas :)

Maria Branco disse...

Querido Sandro, se tu soubesses o quanto fiquei feliz por encontrar aqui estas tuas palavras. Não apenas pela sua indiscutivel beleza, mas acima de tudo, pela tranquilidade que te senti ao le-las, pelo enorme sorriso que te adivinhei.. Porque te quero saber feliz, mereces com toda a certeza, mereces partilhar esse imenso amor que te sei... Um beijo enorme Sandro..

Desejo-te um Natal muito, muito feliz!

MONALISA disse...

Sandro, vim ler-te e desjar-te frstas felizes, pois não sei se terei tempo de o fazer até final do ano. Beijo

Anónimo disse...

e não sabe bem ter assim o mundo a beira do derretimento?...:)

Bj Gd**
(ana catarina)

Marta disse...

O amor é assim :). Beijo

Sandro disse...

Filipa: São palavras sentidas... são sempre!
Um beijo

Anónimo: Faz parte da condição humana ter estas fraquezes...

Maria: Que surpresa!! Obrigada pela visita, e quero-te assim também, tranquila, feliz...
Um beijo grande

MONALISA: Festas felizes para ti também. Obrigada pela visita, é bom saber-te por aqui.
Beijo

Ana Catarina: Sabe bem estarmos à beira do derretimento! É bom ter quem nos derreta com um beijo... um sorriso... um toque...
Beijão

Marta: O amor é assim?? Não... Não pode ser tão simples! Nunca é...
Beijo

Anónimo disse...

Eu derreti-me nos teus lãbios...
Falo sempre do mesmo, do beijo... dessa noite... do passado!
E o meu presente segue em frente, em direcção a algo desconhecido, com alguém agora do meu lado... mas tu permaneces... como eu... anónimo!
Um beijo grande!