18.10.04

Sou teu...

Estou cansado de estar aqui...
Cansado de ser apenas o que sou...
Suprimido por todos os meus medos,
Limitando-me apenas a existir!
O teu olhar... a minha luz.
As feridas, essas, não querem sarar.

Não deixes de aparecer...

Se chorares, bebo todas as tuas lágrimas,
E com elas saciarei a minha sede de ti.

Se tremeres, lutarei com todos os teus medos,
E enquanto te seguro pela mão, transformo tudo em paz!

E não tenhas medo...
Se te falhar o chão, não te falho eu!

A tua voz traz-me de volta a minha sanidade.
Enquanto me quiseres... sou teu!

10 comentários:

mad disse...

E tu entretanto és o quê?

Anónimo disse...

não dependas de alguém para definires o teu "eu"

fairy_morgaine
www.ogritodosilencio.weblog.com.pt

Ritinha disse...

Quem sou para falar, mas... valerá a pena?
Que me costumas dizer quando sou eu que me revejo assim?
Aplica agora as tuas palavras a ti!
Beijo

CA disse...

Entrega-te mas na certeza de que alguém te recebe e te devolve essa entrega.
Não te limites a existir...
Existe em plenitude, para que as tuas limitações, não te limitem a ti.

Maria Branco disse...

Sandro, deixo-te apenas um abraço imenso... E o meu silêncio, porque te entendo... Desejo que o tempo suavize a tua dor. Beijos Muitos

Ninagasol disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
FDC disse...

nao te abandones assim tanto da tua identidade
"enquanto me quiseres sou teu" -> tem cuidado com isto para que nao se aproveitem de ti :abraço
insoy.blogspot

Anónimo disse...

"Enquanto me quiseres... sou teu!"

Então porque nunca foste??

Uma lágrima... e um beijo...

Sandro disse...

mad: Não deixo de ser eu. Não me perco na tradução de um sentimento!

fairy_morgaine: o meu "eu" está definido. só não está a metade que me falta...

Ritinha: É fácil dizer aos outros o que achamos melhor fazer, difícil é ouvirmo-nos a nós próprios nessas alturas. Diz-me tu... Vale a pena?

CA: Nunca me hei-de limitar a existir. Mas talvez não exista em plenitude ainda... Mas para lá caminho!

Sandro disse...

Maria: Apenas um abraço? Como apenas? Por vezes um abraço é tudo. Chega a valer mais que mil palavras. Acho mesmo que as pessoas se têm tornado tão frias que já nem se lembram como é bom ser tocado por alguém... sentir uma carícia, um abraço. Obrigada. Beijo grande.

Ninagasol:
Se essa pessoa chorar eu choro...
Se essa pessoa tremer eu ganho medo...
Se a ela faltar o chão, eu cedo...

Mas nunca lhe mostro isso! *

FDC: Não me abandono nunca. E não é uma questão de se aproveitarem de mim, é uma questão de saberem que estou lá, e que não me nego ao que sinto. Esse seria o maior erro...
Abraço.

anónima: Começa a ficar complicado responder-te...
As coisas que me dizes são bonitas, mas sem identidade...
Sem lágrimas... mais um beijo...