25.11.04

Lingua portuguesa no seu melhor



Não te amo mais.
Estarei mentindo dizendo que
ainda te quero como sempre quis.
Tenho certeza que
nada foi em vão.
Sinto dentro de mim que
você não significa nada.
Não poderia dizer jamais que
alimento um grande amor.
Sinto cada vez mais que
já te esqueci!
E jamais usarei a frase
EU TE AMO!
Sinto, mas tenho que dizer a verdade
É tarde demais...

=Clarice Lispector=


OBS.: Agora leiam de baixo para cima.
Pura arte ... pura genialidade... e viva a língua portuguesa e a Clarice Lispector, a quem é atribuida a autoria deste poema, embora haja quem questione a veracidade do mesmo ser dela!
Este poema foi-me enviado por uma senhora amiga, que partilha comigo o gosto pela escrita e leitura. Um beijo para ela!

16 comentários:

Ritinha disse...

Está realmente muito bem conseguido.
Engraçado como tão depressa o sentimos de uma maneira, muitas vezes de raiva, como a seguir temos que admitir que a nossa leitura é exactamente a inversa.
De facto, este poema só acentua a nossa própria dualidade.
Beijo

CA disse...

É o avesso da alma.
Nem tudo o que parece é...
Beijinho.

FDC disse...

Wow. Isto está muito bem feito :)
Quanto ao teu comment, já, já aconteceu... ela respondeu com o olhar, com o toque... e depois respondeu com a boca. Mas já lá vai...

mad disse...

Simplesmente uma delicia.
Belo post Sandro.

Anónimo disse...

Escrever de cima para baixo , já é complicado , agora de baixo para cima, nem falo !!!

Finurias
www.cagalhoum.blogspot.com

Anónimo disse...

Sem dúvida, genial. Clarice Lispector lamentará, mas o poema é atribuído a Camões.

Maria Branco disse...

Belissimo Sandro! E não há dúvida que prefiro le-lo de baixo para cima.. Beijos. Desejo de um fim de semana feliz!

c.b. disse...

Sim, já tinha lido esse jogo genial da palavra em qualquer lado. Não sabia que era da Lispector, mas penso que nada tem a ver com Camões...

Abraço

MONALISA disse...

Não conhecia. Independentemente do autor, está genial. Quase como se fosse a diferença entre o que dizemos ás vezes e queremos acreditar que é a verdade e o que sentimos lá bem no fundo.
Beijo.

Ninagasol disse...

Demonstra a facilidade que temos em virar a vida ao contrário, apenas em simples minutos. Beijos

LetrasAoAcaso disse...

Permito-me sublinhar a qualidade poética.
Um abraço Sandro

Maria Branco disse...

Sandro, venho deixar-te um abraço enorme, estou de "partida".. Desejo que sejas muito feliz! Que todos os teus sonhos se tornem uma realidade!! Beijos Muitos, até sempre....

Å®t_Øf_£övë disse...

Simplesmente fantástico.
Podemos ler conforme o nosso estado de espirito e de alma...
Umas vezes de baixo para cima,outras de cima para baixo.
Bom feriado.
Abraço.

Sandro disse...

Não vou comentar individualmente os comentários, porque o texto não é meu!
Apenas fico contente por terem gostado, e por quem não conhecia ter ficado a ver as maravilhas que se podem fazer com a nossa lingua!
Lamento a partida da Maria, que, não percebendo o porquê, sei que vou sentir falta!

Até já,

Anónimo disse...

Espectacular!!!
A nossa lingua portuguesa é, de facto, fantastica!!
Está simplesmente lindo!!

Anónimo disse...

anacanela* que sublime descoberta, que mágica articulação e jogo de palavras, é bem feito seja lá quem tenha sido, afinal as palavras também jogam tanto conosco! anacanela@sapo.pt wwww.vidadeareia.blogs.sapo.pt