8.11.06

Cantar Cabo-Verde




Como se pode cantar um país sem nunca lá se ter vivido?
Ontem vi que não só é possivel, como pode ser perfeito!
A artista chama-se LURA, descendente de Cabo-verdianos, nascida e criada em Portugal.
Como ela mesma diz, só muito tarde começou a gostar dos ritmos ritmados (uma private) de Cabo-Verde, e a cantar a música.
Em boa hora o fez... O concerto foi ali mesmo, no teatro Tivoli, e revelou-se bem intimista, quente, com aquelas cores típicas de África!
Os músicos dela são de muito bom nivel, e ela... bom... ela é africana!
Uma voz forte, incrivel, que já conhecia do Cd, mas em palco é outra coisa. Porque em palco está a mulher que fala, que dança, que ri... que dança...
José Agualuza, ao escrever sobre ela, afirma: “Dêem-lhe uma causa e a voz desta mulher transforma-se em chicote. Dêem-lhe um chão e será raiz. Dêem-lhe uma raiz e será flor.”
... e assim é!
A força e a beleza de "Na-RI-NA", em contraste com a calma de "Nha Vida" (esta última escrita por ela, que se revela simples, mas muito bonita), muito bom...
Aconselho a ouvir, a conhecer pelo menos. Quem não gostar, é de direito...
Eu adorei!

6 comentários:

Gi disse...

vou ver se a descubro. Depois opino :O)
Bom dia!

Sandro disse...

gi: descobre sim... Quem sabe não vale a pena?!

Anónimo disse...

Bem, tou a ver uma certa diferença no tema dos últimos posts... Terá mudado alguma coisa?! Onde anda o amor?

Sandro disse...

anonimo: O amor anda comigo, sempre comigo... cada dia que passa mais e mais. E tu? Quando assinas com o teu nome?

Martinha disse...

o amor está sempre aqui.... é e também foi ao concerto, n é doce? Beijo bom nosso....

mood disse...

Dica registada. Obrigada. Beijo grande