30.6.05

Estou aqui do teu lado... Anseio o teu toque e o mínimo sinal de que te posso amar...
Entrego-me a ti sem que haja barreira alguma que não possa ser quebrada!
Levanto-me... caminho na tua direcção...
Lanças-me um olhar de menina marota e soltas um sorriso nervoso. Quando me aproximo sinto o teu respirar ofegante... sinto-te nervosa, expectante... Que bom é sentir o teu hálito junto do meu, enquanto me pressiono no teu peito, e te agarro as mãos...
Envolvo-te num abraço macio, de cor laranja, quente e vivo...
Aproximo os meus lábios ainda mais dos teus e provoco-te num quase tocar de boca... um quase tocar de boca...
Ris... Nervosa...
Beijo-te o pescoço, que percorro até te morder as orelhas... mordo-te os ombros, beijo-te na ponta do nariz...
- Que provação é esta? –perguntas por entre a ofegância do teu respirar.
Não falo... não respondo...
Aperto-te ainda mais passando os meus braços na tua cintura e cubro os teus lábios num beijo de cor vermelha, apaixonado, escaldante...
Quando separo os meus lábios dos teus, sinto-te respirar fundo... a recobrar sentidos...
Retorno ao beijo, enquanto te empurro em direcção à cama no fundo do quarto... deixas-te conduzir pelo meu beijo, por esta vontade louca de nos possuirmos, de sermos a carne que alimenta a fome um do outro...
Segredo-te ao ouvido :
- Sou teu...
E entrego-me a conhecer o teu corpo com o que as minhas mãos dizem sentir... percorro o teu peito, o teu estômago... sinto o quente do teu sexo... O calor que se forma em nós leva-nos a despir as roupas e a parar por momentos...
Observamo-nos como se perante nós estivessem os corpos mais bonitos alguma vez esculpidos pela mão de um qualquer artista...
Aproximo-me mais uma vez de ti, mais uma vez no beijo empurro-te para a cama e cubro-te com o que resta de mim... corpo... só corpo...
E toco-te, beijo-te, olho-te, AMO-TE... Fazemos amor de cor azul, sereno, calmo...

De repente ganho um medo horrível de te poder um dia perder... Passo a mão pelo teu cabelo, beijo-te entre onde o peito se junta ao pescoço, aquela tua covinha que digo sempre que adoro... e digo-te baixinho, em jeito de segredo bem guardado:
- Não me deixes nunca... Recuso-me aprender a viver sem ti!

19 comentários:

Sara_VT disse...

Que texto tão apaixonado, tão ardente e, mais uma vez, tão bem escrito!
É daqueles textos em que se sorvem as palvras e, no fim, engole-se em seco.
Das duas uma: ou és um amante nato, ou um escritor nato.***

mood disse...

OOoooh coisa boa...

Temos aqui uma coisinha nova: as cores...gostei muito.

bjinhos

Ritinha disse...

Bem, que paixão!
Beijo grande

Mikado disse...

O estreito do Bósforo separa a Ásia da Europa, como separa o peito do pescoço, reclama-o como teu, deposita os teus lábios e faz com que o estreito se ligue num beijo, num amor...que nunca se há-de perder!

Xana disse...

Lindo texto e boas cores.:)
Como é bom amar assim...

Maria Manuel disse...

A cena da entrega e da posse, eternamente repetida e sempre única!...

Andreia disse...

Gostei imenso Sandro :).
É bom quando podemos sentir-nos tão em outra pessoa, não falo apenas do físico, claro.
é bom saber-te assim feliz *

intimidade indecente disse...

Adorei, fiquei verdadeiramente extasiada ao ler-te, cada detalhe, cada momento mais perfeito e mais pleno que o anterior, menos que o seguinte. O amor, sempre a inspiração máxima, sempre o desejo mais ansiado por nós. Que vontade de sermos engolidos por ele...
Voltarei mais vezes!
Beijo,
Rita

Marta disse...

adorei, principalmente a intensidade das cores.
é um texto repleto de paixão, descoberta e ansia de repetir.
parabéns.

Sandro disse...

sara_vt: Ou um amante que escreve com sentimento... :-)
Beijo

mood: Ainda bem que gostaste amiga. Eu disse antes já, as cores escuras com que pinto os meus "quadros" nem sempre correspondem à realidade!
Beijo

ritinha: Que amor Ritinha... Que amor... Beijão

susanat: Sim, espero que nunca se perca!

Sandro disse...

xana: E ser amado assim...

m.: É mesmo isso.. sempre única...
Beijo

a_gata: Obrigada gata. Feliz sim. Muito..
Beijo bom

intimidade indecente: Volta sim! Sempre e quando quiseres.
Beijo Rita

ladyinblack: A intensidade das cores reflecte a da paixão.
:)

H. disse...

Que romântico, que belo =)

Vera Cymbron disse...

Um texto cheio de amor para dar...senti cada palavra...poderia em outros tempo escrevê-lo de outra forma com o mesmo significado.
Jinhos

mood disse...

Sim miguinho, m quando dizia q temos aqui umas coisinhas novas (as cores) não me estava a referir a estados de espírito.Até pq tb por mim sei que os posts n são espelhos fiéis do estado de espírito presente.Eu referia-me era ao facto de introduzires a cor como uma referência neste texto: " Envolvo-te num abraço macio, de cor laranja, quente e vivo (...)Fazemos amor de cor azul, sereno, calmo"...pá...acho isto uma delícia!

Beijoooo

anacanela disse...

sem reservas! escrever, amar, também sou assim mas não consigo evitar esse estranho medo de na entrega cega perder de vista este mapa de vida que és "tu"...adorei pois claro! abraço*

Ritinha disse...

Que bom Sandro. Que bom :)

vi disse...

amar é entregarmo nos ao outro sem kk possibilidad d nos defendermos...
ta mt lindo o teu post... as vezes é tao bom "depender" assim d alguem... *****

divinoedivina disse...

Adorei por demais o teu texto. Fez-me recordar os tempos em que eu era feliz.

Escreveste tudo aquilo pelo qual eu um dia passei. Mas sei que a última frase é falsa. Só agora descobri.

Mas obrigado por me teres feito sonhar...

Tere disse...

Foi lindo de certeza, kem me dera conseguir transpor para palvras desta forma o k sinto quando amo, só consigo escrever o k sinto quando sofro... bonito muito mesmo um bonito azul calmo e sereno