4.11.08

Não me deixes...

Perdido no chão,
sem qualquer salvação,
com ar de quem viveu mais do que aguentava...

Não me percas de vista,
deixa ao menos uma pista,
e eu encontro-te algures na estrada...

Deixa migalhas espalhadas,
pelas ruas, nas escadas,
E depressa chegarei junto a ti...

Não me deixes sozinho,
Não me escondas o caminho,
... e esquece tudo o resto que te pedi!

5 comentários:

Juh disse...

adorei os teus poemas os teus textos!!!
luta pela tua felicidade!!!

beijinho

Ca Delicious disse...

... às vezes nesta procura encontramos soluções improvavéis de acontecer...

Mikado disse...

Agarrada ao pó,
a baloiçar nesta corda sem nó,
sou poesia que não rima...

Engolida num nada,
à espera de ser amada,
desencontro-te sempre que te alcanço...

Devoro as migalhas,
que aindas espalhas
e depressa me perco de ti...

E deixo-me ficar ferida,
neste passeio de calçada moída,
esquecida por tudo o resto!

Marta disse...

"Deixa migalhas espalhadas,
pelas ruas, nas escadas,
E depressa chegarei junto a ti..."

Fantástico.
Beijos

Sandro disse...

Juh: Obrigada! Por isso lutarei sempre... Um beijo

Ca Delicious: Desde que sejam soluções... :)
Beijo

Mikado: Amiga... Tens de encontrar a rima na tua poesia. E como já disse, apenas depende de ti!

Marta: :)
Obrigada
Beijo bom..