1.2.08












Acordaste a manhã...
Fugi da minha noite escura, de um sonho mau, de uma luta feia...
E lá se vai a hipótese de te cobrar mais um beijo:
-“Tenho de ir.”
Vai...
o dia vai ser longo e cinzento... mais que os últimos.
Abraça-me forte, aquece-me só mais uma vez.
Espera... dá-me uma segunda luz...
Não vou recuar... não me vou voltar para trás.
Mesmo que o mundo desabe, ou uma guerra comece... vou ficar aqui, de pés bem fincados no chão sólido.
... dou-te o tempo... fico-te à espera...
Chove-me em cima e o meu sangue dilui-se na água.
É que... fico em ferida quando partes.
Mas não vou recuar... nem dar meia volta e partir em direcção contrária.
Já to disse... pode ruir o mundo, podem-se matar os homens... eu fico bem aqui, com os pés fincados no teu chão...
...
à tua espera...

7 comentários:

Mikado disse...

Vale sempre a pena esperar, quando se espera por alguém que acorda as manhãs, que nos deixa em ferida, que nos dá razões para ficarmos de pés bem fincados mesmo em chão pouco sólido...

Carla disse...

"fico em ferida quando partes"
que bem descrita que está aqui a dor da separação

_+*A.Elite in Paris & Montpellier*+_ disse...

O amor anda a fazer-te bem. Essa foto esta um espectaculo!

Bom final de semana!

Beijo meu,

A Elite

Inês Xein disse...

E dói tanto mais quando se parte e não se volta. É uma ferida aberta...


Sente-te!!!

JPT disse...

mto bom, como já é hábito.
Um abraço

Sha disse...

Pois então que volte depressa!!

Bjinho
Sha

variasformasdearte disse...

Devemos sempre esperar por aquilo em que acreditamos...