23.8.07

É tão para ti que eu escrevo...
As palavras que se formam em mim procuram-te em contexto e conteúdo...
Falta-me talvez a forma correcta de as pronunciar, de as colocar numa geometria perfeita...
Mas é tão para ti que as escrevo...

São precisas lágrimas para construir o caminho, é preciso sofrer e voltar a sorrir...
É preciso ficar só, para sentir a falta que me fazes...
É tão por ti que eu choro...

É preciso saber viver sem medo, saber contornar os receios com possíveis conquistas...
Temos de saber que um sorriso quebra infinitas barreiras...
É tão por ti que eu sorrio...

Dá-me um beijo...
Explora a minha pele com a nudez da tua mão...
Deixa-me os lábios percorrerem-te o corpo...
...
É tão por ti que eu chamo...

5 comentários:

Martinha disse...

E é tão bom o que escreves meu doce...
E é tão bom ler-te...
E é tão bom ter-te...
Sempre bom...
Amo-te muito...
Beijo nosso...

Viola De Lesseps disse...

Sabe tão bem ler-te...nunca me canso...continua a escrever cada vez mais.
Como é lindo este poema.
Amei.

Jokas

Viola

Branca disse...

Sem palavras, confesso...
Encantada... Sim, encantada!
Adorei!

Beijinhos e continuação de boa semana :)

bEtA disse...

Está mt bonito :)

Mas não era preciso.. cof cof... :p

mevaristo disse...

Olá, tinha me perdido mas voltei a encontrar...
Afinal não sou a única que tem insónias, e inspiração. Amor que dói assim é mais paixão...´
"Vai dando notícias"...